amo !

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

fazer amor é engolir no corpo, a alma...



.
.
.
.

A paixão que o amor expõe
na inspiração do querer, do prazer
a magia inconfundivel do toque
que extrapola os limites da superficie
se deixam entrar
potencializando gemidos, sabores e cheiros...

No momento que o sublime se curva,
como em reverência a perfeição do instante .
Corpos em poesia
se lambem.
se roçam
se encaixam
se amam,
e se gozam.
Transformando pele e suor num despudor ansiado.

E numa urgência de ser pecado e penitencia
explode em êxtase incontrolavel.

Engole no corpo, a Alma....
e se faz amor.
Poema de dois corpos que se fundem,
em quase transe, se incorporam
Perpetuados no desejo,
eternizados em si....

.
.
.
.

sábado, 26 de dezembro de 2009

eu

.
.
.


quem sou eu?? um poeta que escreve em detalhes tudo o que meu coração pensa, tudo o que meu corpo faz. Que gosta de amar, de amor, de fazer. Que não pensa no amor, e sim vive o amor. Que gosta de gostar. De dar prazer, como forma de receber. Sou, as vezes, uma mentira de verdade, ou uma grande verdade nesse mundo de mentira. Sou o que voce deseja, o que anseias. Sou uma foto em preto e branco, para ser colorida pelo teu desejo. Sou a interrogação constante nas tuas afirmações. Sou o sim dentre todos os teus nãos. Sou a pele que tu quer roçando na tua. Sou o que tu esperava, sou teu sonho de menina, sou o corpo suado no tua ansia. Sou a urgencia que teus dedos correm nos passeios em ti. Sou tua volta, tua insensatez. Teu desconhecido íntimo, teu bilhete amassado. Um sonho, tantas vezes molhado, suado. Um sonho que tu quer verdade. Um sonho que te dá medo de ser, de ter. Sou quem sabe, a angustia das tuas reações. Do acordar, do ser ou não ser. Do ter ou não ter. Sou teu mistério, teu desejo, tua umidade , teu despudor, o motivo de um pecado. Ou simplesmente quem sabe, sou apenas mais um texto. Um texto quase poema, desse poeta que ama a vida, e brinca intensamente de viver...!
.
.
.
.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

simplesmente um detalhe...!


.
.

.


tua vontade louca,

despudor.

teu sexo

teu modo lascivo,

tua boca entreaberta,

tua lingua passeando nos lábios
teu corpo querendo... .

teu suor,
teus seios,
gemidos.

teu corpo se mexendo

teu jeito de me pegar
de me sentir
tuas pernas se abrindo

teu sorriso maroto.

tuas coxas enxarcadas

teu gozo escandaloso.

e eu ?

apenas um detalhe...!

.
.

.


domingo, 20 de dezembro de 2009

apenas um desabafo, tanto tempo depois...

peço desculpas por fugir tanto ao que me propus ao fazer esse blog.
Mas a vida as vezes é cruel, não escolhe tempo , idade, e pessoas.
a dor fica gravada a ferro e fogo numa alma que perde pedaços, sem saber porque....e essa época bate ainda um pouco em mim.
porisso dei um abraço na minha saudade e chorei. Chorei por todo o tempo da falta que tive...

====================================================================


Num determinado momento na vida, era um menino ainda, forte, bonito, feliz. E perdi o Papai Noel. Ele foi sem me avisar, foi pro céu, como me impuseram pensar. sem dizer que ia, sem renas e trenós, ele simplesmente foi. Não voltou mais. Nunca entendi o porque. Porque o meu papai noel??? Fiquei com as lágrimas, lágrimas de uma criança que não entendia mais o Natal. Que não pediu mais presentes, que não mais corria feliz pra sua árvore de amor, de bolas e luzes que piscavam toda a sua felicidade. Naquela natal, chorei. Chorei por todos os presentes que eu tinha ganho.A bicicleta, os carrinhos. Não foi o "meu" papai noel que deu. O meu não estava mais ali. Rasguei as cartas escritas na saudade, fiquei só. Chorei por todos os natais anteriores, chorei todos os dias felizes, chorei todas as palmadas de mentira que tinha ganho.Chorei toda a dor que uma criança podia chorar. Chorei naquele natal por todos os natais que ainda poderia ter. Minha meia ficou pendurada na janela. Vazia de sonhos, vazia da companhia e do amor de um pai. Ficou só seu sorriso, tantas vezes dado, do seu carinho, do seu abraço, dos seus beijos, dos seus olhos azuis, que tanto me ensinaram. Ele foi embora cedo demais......

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

a música



.
.
.

.... um beijo, um sorriso, o barulho do mar . A janela aberta,o cheiro da maresia, o convite, o desejo. Uma música , voce me puxa, me chama pra dançar, me abraça, me sente, me aperta em ti, no compasso certo. Voce num repente, abre minha roupa. Enquanto dançamos, eu abro a sua , sem perder o ritmo. Sem perder o passo, continuamos... as roupas em ritmo certo são jogadas displicentes no chão. Outra musica começa, nos apertamos mais e mais, nossos corpos quase em transe , só o som, só o cheiro, só o se apertar louco dançando, voce sentindo minha pele colada a tua , qual delirio, tua barriga agitada, tuas coxas molhadas nas minhas, teu palpitar, tuas unhas em mim, corpos suados se roçam , dois passos pra lá dois pra cá.
a música termina, fica um gemido, tremido, suado, sem sentir o chão. Apenas a penumbra, a dança continua, embalados agora apenas pela música dos corpos que se enroscam como que em loucura de desejo. Flutuando. Ao fundo só sussurros, um tapete e o barulho do mar......!
.
.
.

sábado, 12 de dezembro de 2009

o homem e o poeta...

.
.
.



Me divido em ti....
entre o homem e o poeta.
O poeta que te acaricia e embala,
e o homem que te deseja .
Um que te beija,
o outro que suga e te entra
Um te estende a mão,
o outro te come.
Um te sorri, o outro te morde.
Um que é carinho,
o outro é tesão.
Um te carrega no colo,
o outro te joga na cama.
Um seca lágrimas das tuas tristezas,
o outro te enxarca de prazer.
um te ama,
o outro é paixão.
um é coração, o outro é a pele.
um te dá o pecado, o outro a ilusão.
Se independem, se completam,
Um te ama , o outro te quer...
.
.
.
.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

solitudine


.
.
.


Uma noite confusa de silencios,

gritos no pensamento

berros abafados, indefesos, nervosos.

Escuro de sombras impossiveis
na desimportancia da luz.
Inconformismo inquieto.


tua falta,
um vazio no vazio,
na tua pele não Eu,
tua mudez, uma dor

e a madrugada segue
sem noites, sem manhãs
sem abraços, sem beijos

toques, sem corpo...


E na monotonia insensivel dos ponteiros,
em cadencia angustiante

a (in)quietude inutil das horas mortas !
......................................................
(1991)

.
.
.


sábado, 5 de dezembro de 2009

Respondendo um e-mail...

.
.
.
Gosto de vida, amo viver, quero estar sempre em comunhão do meu corpo com minha alma.
Viver é estado de satisfação, é ficar bem, é se dar.... é amar, é ter a consciencia que a vida é só um pouquinho, o melhor pouquinho que podemos ter.....E que tiro sempre o máximo de mim para ser feliz. Esse sou eu, feliz, por ter a consciencia que quero ser....Feliz por não prometer, feliz, por não iludir, feliz, por saber tirar de tudo, exemplos. Aprendo sempre. Aprendi na prática e não por ouvir dizer. A rua foi minha melhor escola, vivi e convivi com damas e putas. Sem jamais discriminar. Ser esperto, não é tomar porradas da vida, é saber se esquivar. Amo com força e intensidade. Sou sorriso e gargalhada, sou franco até doer....mas sou sincero. Não ofereço o que não posso dar, não almejo o que não posso ter. Não vendo ilusões, sou o momento, sou aquela hora. Se gostar prolongue, mas não me queira eterno, sou ar, sou nuvem, sou sonho. Não sou melhor que ninguem , mas faço sempre o melhor de mim. Me use e abuse tendo a consciencia que amor, não é exclusividade, amor não é ciumes, amor não é conto de fadas. Amor é querer estar. Amor, não é anel no dedo, amor é momento, amor não é hipocrisia. Amor é corpo colado, é querer mais,é tesão ,e se o corpo ainda quer , e termina o tesão , é que perdeu o encanto, é que acabou o amor....
E se eu estiver errado, erre comigo, ou erre igual aos meus erros, e se minha vida é um êrro , vale a pena errar ou pelo menos tentar....Eu sou feliz , eu vivo. Acredite.

.
.
.
.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

preciso...!

.
.
.

Preciso da tua boca,
do teu beijo,

do teu mais sugado beijo

do molhado da tua lingua,
louca,
correndo em mim.
Preciso do teu corpo
aberto,
exposto, entregue

no teu mais despudorado querer,

teu mais lascivo desejo,

tua inconfessavel fantasia

o instante alucinado do teu grito,

o momento escandaloso
do teu gozo

a continuidade

como implorando, infindo.
Quero meu corpo nú,
dentro do nú do teu tremor
dos teus espasmos, e sensações

num entrelace em êxtase

de pernas, braços, bocas, saliva e suor.

insaciaveis prazeres,

cúmplices na certeza de ser

e entre

sorrisos , suspiros, e gemidos
outro beijo,
outra vez !
.
.
.

domingo, 29 de novembro de 2009

e os outros.....



.
.

.. .
se eu tiver que morrer de amor,
que seja em ti.
E "ressuscitar" entre as pernas do teu corpo nu.
doce pecado .
Que diz não cobiçar, o alguem
de um próximo,
que nem sabe amar
.
Será pecar, o
segredo louco que nos encontra,
e conduz
Nessa loucura,
nossas noites inteiras.
nossas noites fugidas
sem "donos", sem assinaturas, sem testemunhas.
Sem repressões, sem ressalvas, sem companhias,
sem pecados, sem punições,
só nós.

só nossos escondidos murmúrios,
só nossas madrugadas de prazeres e delirios.
Gemidos de vida.
E o mundo que se engane,
que finja não ver
que pense não ser..!

.
.
.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Te amo...!

.
.
.



Te amo
com toda a intensidade que amar permite
sem limites
na fronteira da paixão.
Num precipicio de insanidade,
um desejar alucinado,
em total desequilibrio
no equilibrio tênue da razão.
Um amor...
que em amor se incorpora
ao coração de um poeta,
que pulsa
evitando a fuga do verso perfeito
na poesia inspirada em ti
Te amo, te amo
simplesmente te amo...!
.
.
.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

futuro...

.
.
.
futuro?
meu futuro é o agora,
ou o imediatamente após.
quero viver toda a felicidade,
de colher o que plantei.

Plantei imaginações, plantei sonhos
colho realidades e sensações.
Vivo todo o prazer,
que a imaginação me entregou.
e a realidade colhida, deixa eu ter.

Não me importa colecionar saudades ,
e nem viver a ansiedade
de uma velhice de recordações,
ou "angustiar" uma medrosa solidão.
Não quero juntar moedas de felicidade,
em um cofrinho de sonhos
para abrir num amanhã qualquer.
Gasto agora.

Vivo o hoje.
Vivo a realidade dos meus sonhos,
escrevo agora minha história.
Prenhe de reticencias e pontos parágrafos.
ainda sem ponto final....

Cheguei há um momento de vida,
que posso e quero voar em plenitude
Lúdico em emoções, voar meu corpo,
voar meu consciente livre.

Me dar asas,
viver ao sabor do vento...!
.
.
.
.

domingo, 15 de novembro de 2009

a falta...!



.
.
.
Tenho o eco
do
teu gemido
gravado
no subconsciente
do meu desejo.


Excita-me a lembrança.
Excita-me o corpo.

Relembro teu compasso,
tua pele,
teu cheiro,
tua lingua
.
T
eu jeito lascivo
e sem pudor de se deixar entrar.


Fecho os olhos,

e por um momento,
um descontrole de mãos,
e sem as tuas.
Teimam as minhas,
lambendo o ar que me rodeia
me finjo em ti
......
.
.
.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

sorrir....

.
.
.

no inicio
fechou os olhos
chorou, gemeu.
depois riu
riu com força,
riu o roçar da pele, o galope do corpo
riu a fantasia de desejos acontecer,
riu o latejar da carne na carne.
riu os cheiros, o compasso alucinado
de sensações, de veias e pelos,
de arrepios e suores.
com a mão, buscou o encaixe,
se acariciou como em transe,
levou a ponta dos dedos enxarcados
à lingua,
pra sentir o gosto.
poderia ser Luciana
E
sem pudor,
me buscou o rosto.
me lambeu a boca.
Feliz,
sentiu-se enfim em gozo..
E
tremendo,
gemeu, chorou ,
sorriu...!

.
.
.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

o erro...!

.
.
.



queria,
ter todo o tempo do mundo
para lapidar meus erros.
Não conserta-los.
ter a consciencia do erro,
e faze-lo melhor.
Com mais intensidade, com pontualidade .
Despir o erro de toda roupagem mentirosa da desculpa.
Da obrigação do perdão.
Quero o erro pronto, justo.
Inabalável, irredutivel, feito.
Quero subir em cima do não deve,
ter o orgasmo do não pode.
E gozar o erro em toda a sua plenitude,
e ter a certeza que um dia,
ainda posso errar mais
conscientemente mais e melhor.

muito melhor...!
.
.
.
.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A palavra...a voz...o óleo...a mão....!


.
.
.

Sou palavra,
que desperta e aguça,

o desejo nos teus prazeres.
A voz
que sussurra em teus ouvidos,

todos os teus arrepios.
O óleo
que molha o teu corpo,

na solitária madrugada das tuas insonias.
A mão
que dança febril em tua pele,

à urgência frenética dos teus dedos....!
.
.
.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

se faz por mim


Masturbas nas minhas palavras
o poema

dos olhos fechados no teu corpo entregue.
se faz por mim...
se mostra em todas as tuas sensações.
em todos os teus delirios
Geme teu pecado, na fantasia molhada .
que faz da tua pele
sinfonia para todos os instrumentos .
Na orquestra do teu desejo, sinta meu som....
.
.
.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

voce!


ç
ç


O céu do teu olho

me ofusca num imenso azul.
e teu lábios me sugam ,
deixando marcas nos caminhos do corpo,
nas fronteiras da pele...
Entre sussurros e sonhos,
tuas mãos, instrumento e prazer.
se fecham em mim.
Em despudor pedido,
me endurece e pulsa.
Se apertam e dançam,
me explode em gozo.
Gemes a mão molhada que colam teus dedos,
provocando, a maré alta.
Que transborda em extase,
o desejo em óleo do teu corpo...!
;

;

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

uma noite qualquer.!




.
.

...deitou só de calcinha. De bruços abraçada ao travesseiro, fechou os olhos.
A boca entreaberta, quase formando um sorriso. Uma música ao fundo. A luz medrosa da
noite, fingia iluminar de cores, o ar em sua volta. Seu corpo bronzeado contrastava de
desejos e prazeres a seda branca do lençol.
Parei, fiquei olhando. O cheiro do mar, o barulho das ondas , dava o tom. Tirei minha
camisa devagar, a calça sem pressa, e joguei displicente nas costas de uma cadeira.
Seu corpo , reagia com arrepios ao vento frio que soprava.
Sentei ao seu lado,o movimento fez suas costas esbarrarem na minha perna.
O contato quente da pele na pele, me excitava. Seus cabelos bricavam em meu rosto.
Passo as mãos nas suas costas, por entre suas coxas ,de leve, sem querer acordar, ela se vira. Os seios firmes, se deixam, como pedindo carinho, proteção. Passo a mão , aperto, sinto a sensação do toque. O bico se enrijece, minha lingua, suga, sente o gosto.
Abre os olhos, sorri
estica o braço. Me beija....me puxa. Me busca....Sinto a sua umidade .
E abraço, me deito excitado . Minha boca quer. Enquanto meu corpo descarado roça no seu. Um arrepio lhe percorre o corpo.
Coloco displicente os dedos no elástico da sua calcinha e puxo devagar...

Enquanto o vento frio entrando no quarto fazia dançar, a cortina na janela.
e o luar cúmplice, como querendo participar, entrava lúdico, sem pedir licença !
m
m
m

domingo, 11 de outubro de 2009

Orgasmo-te


.

orgasmo-te
,
num roçar espalhafatoso,
lançado
no vermelho de teu corpo aberto,
quente
, exposto, molhado.
indecente na fantasia ansiada
exibicionismo em despudor.

Impaciente.
Urgente, latente.

dançando nos gemidos
de palavras e bocas .

Arrepiado pelos dedos fincados.

Anseios por qualquer coisa de lingua.

Gozando qualquer espaço de pele,
de carne.

encaixe que geme,
intumescido na fricção

de um corpo que inflama,
lágrimas que fervem
em óleo que enxarca.
Sorrisos e choros.

sôfrego no ir e vir de corpo dentro.
Sentir escorrer,
pelas pernas de ávidos suores,

jatos misturados em espasmos.
num gozar
Que se multiplica
e fica.
Um desfalecer em sensações...!

,
,

,
.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

vida nova..

,
,
,


quero esgotar todo o teu folego
no meu.

te levar ao limite,
ao alem da tua consciencia,

ultrapassar a fronteira do teu prazer,
te mostrar mais.

ser teu suporte , não te deixar parar.
Roçar na tua pele em arrepios,
todo meu desejo, meu suor.

Te mostrar que essa verdade, é muito mais forte
que a realidade imaginada.
Muito mais mais intensa,

que o fingir de "gozo" acostumado,
falso, sem cor.

Quero resgatar tua inconsciencia consciente.
resgatar tua vontade,
te deixar prazeres,
e te fazer sentir...!

,
,
,

sábado, 3 de outubro de 2009

Sempre...!

;
;
;
;


O amor as vezes doi,
doi uma dor que machuca forte.
Uma dor de desesperança, de solidão.
De adeus. De falta.
Mas o amor é vida, e vida é assim ,
é um caminho de linhas tortas,
Onde nem temos o direito de saber o fim.
E nem de deter o tempo.
E esse lapso é muito curto.
Que se viva e se ame,
que se viva então de amores.
Que se busque o amor,
que se encontre o amor, a paixão.
E mesmo se em algum instante machucar,
ferir ou faltar.
É amor.
E amor não exige eternidade,
simplesmente se eterniza em momentos.
Viva-os com toda intensidade.
sempre....
;
;
;

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

paralelos...



nossos rumos,
paralelos caminhos,
desencontros.
A falta do toque, do sentir,
da carne, dos sentidos.
Nossos olhares que se perderam.
Nossos sorrisos que não se cruzam mais.
Desejos que não se deitam.
Teu corpo reaje nessa urgência de prazer,
e tuas pernas se cruzam,e te apertam, te comem.
No Licor que te brota e te enxarca ,
a luxúria que te inunda, em louca fantasia .
Teus olhos fechados me vêem,
e no teu silencio me chama.

Tua mão lasciva, se transforma por momentos em mim,
e te toca , e te vira , te mexe. te relaxa, te acalma.
e te faz vibrar, te faz sorrir.
E te faz chorar......
;
;
;

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

nem tchau...


;
;


Eu sempre fui (e sou) movido por momentos. Vivo os momentos, com intensidade,

com vontades.. Mas preciso para isso de parceria, de cumplicidade. Assim me sinto
bem, gosto de ser parceiro, rir, amar, viver, sentir ter na consciencia dos meus desejos,
os desejos de quem me quer.
Mas se eu sentir que a coisa tende para um momento diferente, se começa a se perder,
se começa a aparecer muita tempestade em
dia de sol, se o caminho já começa com obstáculos plantados, se os problemas
começam antes da prova, se começam mentiras infantis, fingimentos, coisas pequenas,
fúteis. .....eu saio.
Entro e vou fundo qdo gosto, qdo quero , qdo me sinto bem, porèm se tiver que sair,
saio. Saio com mais ímpeto ainda que da chegada.
Beijos dou muitos,amores e paixões vivo muitos, mas adeus, se tiver que dar, dou um só.... e fim.
Para se ser feliz, para se viver um amor, tem que haver reciprocidade, senão vira
doença. Vira uma mentira, que tristemente palavras inteligentes e bonitas, não encobrem.
Lembro até de um poeminha que fiz quando há um certo tempo atras
comecei um relacionamento, e a pessoa não estava preparada (ainda naquele
determinado instante) para ele( o relacionamento). Simplesmente saí, como se
nunca tivesse chegado. Nunca fui, simplesmente mais um.
Fui feito para o amor e amar.
Para olhar pra frente.Com alguem ao lado. Sendo sempre uma prioridade, nunca uma opção.
Sou assim, vivo assim. Rindo assim, Feliz assim.
E a história na vida, sempre se repete....




Apenas um adeus,
um adeus sem aceno, nem lágrimas.
Para esse adeus,
só o efêmero do momento,
a letargia do instante,
apenas a certeza do nada,
que nem precisa de tempo ou saudade,
é simplesmente sair,
num adeus
que nem precisa de adeus....!

.
.
.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

perfect

.
.
.
louco sentir
que te faz gemidos.
em sussurros me envolvem
e me aguçam desejos.
faz dos meus sentidos,
febril refem dos teus anseios.
Ao ter no meu toque
o teu choque
No teu corpo, o meu corpo.
Desaguas.
me misturo em ti...!

;
;
;

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

enfim...!

.



;

;
;
Se renda enfim .
Mergulhe no prazer,
se deixe ao desejo
que tua carne implora.
Explore enfim no meu corpo,
a tua mais atrevida fantasia,
se perca nessa louca entrega.
Se confunda com meu cheiro,
se misture no meu gosto,
se lambuze com meu vinho.
Se embriague....!

;
;
;

sexta-feira, 11 de setembro de 2009


;
.

Chora o licor que amacia teu espaço
ávido e sedento.
Soluça teu gemido.
sem pudores, sem recatos.
Acorda do sonho que te embala.
Enquanto dedilho em teu corpo
em cordas invisiveis, a música que te enleva.
Danço como valsas e tangos tuas ansias,
conduzo o que tua nudez implora.
tateando em teus montes e cascatas
a inspiração do teu desejo
Teus delirios em urgencias ,
gemer no espasmo justo, do teu momento.
E qual um artista fechar com uma moldura,
teu gozo.
E pintar a perfeição do instante,
a obra final em ti.
O quadro perfeito...!
.
....................................................... (01/09/2007)
;
;

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Mulher.


;

.

A mulher precisa se deixar femea,

se despir de pudores,
viver pelo menos uma vez na vida,
uma louca,

absoluta e inesquecivel paixão.
Se dar um momento "louco",
se entregar.
Numa fantasia alucinante,
ser usada, usar. Se deixar levar.
Tirar a mão de si,
e se deixar abusar por uma que a goze,
a enlouqueça.
Viver o delirio da vontade, do tesão.
Esquecer conselhos,
esconder pudores,
afastar recatos.
Que se mostre. que se doe.
que ultrapasse limites
Que se de, inteira, entregue.
Em pecado....!
;
;
;

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

o tempo passa...

;
;

eu quero ter tudo aquilo que desejo, ser tudo aquilo que sonho.
Ir de passo em passo, ao encontro do "eu" ideal .
Se sonho alto, é um direito, um motivo. Me faço em fases, em objetivos.
Passo por um, vou a outro . E sigo em frente.
Quero dar forma e corpo, aos sonhos, que almejo.
Dar alegria, as minhas tristezas.
Quero dar sono ao meu cansaço. Dar voz ao meu silencio.
Cores, a escuridão de um inicio.
Tentar numa pedra bruta , me auto lapidar.
Fazer dos meus desejos, prazer. Dos meus esforços, recompensas.
Dos meus amores, carinho e cumplicidade.
Dos meus recatos, um despudor.Ter dos dias passados, uma escola.
Não ter dos meus atos, remorso. Passar pela vida e viver.
Fazer desse caminho, a razão.
E viver com intensidade todas as minhas paixões...

;

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

tu..


.
.



teu corpo,
que vibra em meu corpo.

Espasmos
em

sensações

impulsos, gemidos,

frenesi, torpor
.
Transborda no ir e vir.
Encarno no teu cio,

embarco no teu gozo...!
.
.
.

domingo, 23 de agosto de 2009

Aquarela...




. .
.
.

os melhores versos que fiz de amor,
não foram escritos, foram pintados,
uma aquarela febril no sublime de teu corpo.
Corpo tateado qual Braile, sentido por olhos
fechados em prazer.
Em versos que se multiplicam.
Palpitam.
Rimas feitas no alucinado contato na
inspiração do cheiro, da pele, do suor.
Absorvidos pelo som, de uma louca sonata
de gemidos sussurrados por ti.
Espamos sem controle,
como um espirito incorporado,
num corpo entregue,
abandonado, pedinte.
Largado ao poder lascivo do gozo.
Enxarcado na luxúria.
Amor que se rende em suor,
arrepios em despudor.
Usado sem grafias ou paragrafos.
Sem canetas, ou papel.
Apenas teu corpo amado, trepado,
comido numa antropofagia de prazer
pelo homem em mim poeta.
Sem letras, ou estrofes,
apenas fazendo amor,
como quadro pintado ,
numa obra de paixão em pura poesia...!

,
,
,

terça-feira, 18 de agosto de 2009

se deixe


.
.
.



desfile tua nudez no meu corpo,
e se abra sem pudor na minha emoção.
Murmure teus desejos, no gozo na minha vontade
faça de mim teu prazer,
me use , me tome, me abuse!

me morda, me aperte, me lambe.
Gemendo, se enxarque , se vire, se mexa.
Sinta , o desejo que te entorpece e te entra.
te rasga, te desvenda,e te envolve
te faz mulher
se encaixe,
se deixe,
no gozo da tua urgencia
da tua ansiedade ,
do teu querer....!

,
.
.
.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Momentos.

.
.
.


existem momentos, sem palavras, sem rimas coerentes, sonhos ou sensações. Existem momentos, que o coração relaxa, qual diastólica de sentimentos. São momentos, em instantes de pausa, de reflexão.
De olhar o mais distante , o mais profundo possivel. E tentar ver dentro de si mesmo, o ponto consciente mais longe de se olhar....

.
.
.
.
.

sábado, 8 de agosto de 2009

Ou louco ou poeta...!

;;
;

O poeta que se perde e chora em mim

tenta despir,
nas mais ansiosas fantasias,
o teu corpo em sonho.
Empalavro-me em consoantes e vogais
e me entrego nessa ansia.
Nas sensações que escrevo,
Te (trans)formo poema
E te rimo.
Rimo em versos quase sem rima,
a dormencia desse amor ausente,
que vive apenas nessas poucas frases,
em loucos devaneios..!
;
;
;

domingo, 2 de agosto de 2009

Pra ti...!

;
;



louco lúdico,
te sentir.

Desvendar
teu ponto de ebulição,
de fervura, de descontrole,

tocar teu ponto pedido,
tenso, teso,
teu ponto desejo,
teu ponto melhor, teu ponto mulher.

E ter no teu gemido ,
tua intensidade

E na insinuação do teu corpo,
ser teu instante,

e me somar em ti.
Me multiplicar pra ti.....
.
.
.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Quero !

;
,

quero na insinuação do teu olhar,

a ânsia pedida do teu corpo.

no espasmo dos teus prazeres,

a angustia nervosa do teu desejo.

Na urgencia da tua entrega,
a insensatez da tua vontade.

E no limite do irracional,
o acordar das tuas fantasias.

o teu motivo...
;
;

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Impresença...

Impresença ,
é tua distancia ,
que se finge ao meu lado,
que se deixa em mim
.
E num instante de sonho

um choque quase tátil

na percepção sentida,

da pele na pele,

do liso úmido dos teus lábios.

Que involuntáriamente cerra meus olhos.

Sinto teu gosto.
Mesmo nesse não estar,

o teu calor é presença,

numa imaginação que ilude
e anseia...
;
;
;