amo !

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Amor é arte..!

;
;

Não chega a ser uma inspiração ,
mas sim relatos de momentos vividos.
O encaixe perfeito.
o momento certo, O entrelace...
Escrevo instantes vividos em paixões.
Faço da minha cama , uma tela ,
do corpo febril de uma mulher,
uma aquarela.
E dessa mistura louca de paixão e de desejo,
faço no amor... a eternidade do gozo.
.
Como se fosse modelo para um quadro pintado
pela mão iluminada de um artista.
.
Que transcrevo feliz em poemas ,
do layout das preliminares sensações...
ao orgasmo escandaloso
da arte final !
.
.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

e sorriu...


;
;
de repente começou a gemer
via cores que piscavam
num psicodelismo de instante
sentia um peso sobre seu corpo e se contorcia
de um modo alucinado, e cada vez mais forte.
e ainda assim, flutuava , tremia e flutuava.
sentia contrações, espasmos
sentia o corpo rasgar
escutava uma voz ao longe,
e suores pingando na pele quente,
dizia coisas desconexas. E escutava.
o corpo vibrava
enxarcado, misturado as sedas dos lençois,
vibrava sem compasso certo e cada vez mais forte.
E continuava flutuando, tremendo, gemendo, mas flutuando...
e ficou assim , durante um longo tempo.
As repetições, a constancia, o contorcer do corpo, os suores sobre ela.
;
Aos poucos um ritmo mais certo, mais calmo
os olhos fechados se entreabrem
os braços largados
ao longo do corpo nú.
o corpo automaticamente ainda reagia
em espasmos leves.
;
mas agora com uma sensação de volta
lenta, calma
relaxada.
.
Puxou então meu braço pra cima dos seus seios
e se encostando mais forte em mim
sorriu...
;
;

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

vadiar teus sonhos.




fazer um amor bandido, amor vadio,
um amor por amor , uma troca
sem etiquetas ou cuidados.
acordar teus instintos

provocar teu susto, teu "medo" e teu grito.
.
te invadir sem licenças,
acordando teu impudor, tua fantasia, tuas ansias
te cansar , te descontrolar, te rasgar a roupa.
.
Fazer posse do teu corpo, te usar.
te lamber, de morder, te comer
te fazer ciscar prazeres inquietos, engolir gostos que escorrem
num cio de um prazer escondido, medroso e vulgar.
entre quatro paredes de tesão aceso.
.
apertar teus seios, chupar teus anseios
provocar o remexer do teu corpo
vadiar teus pontos de vista, teus principios, tua nudez
aberta e descontrolada,
acintosa, despudorada, exibida...
.
romper com estoques de desejo, teu corpo entregue
vermelho, pedinte, molhado.
Querendo ser invadido
sem dó, sem cuidados, sem pena.
Selvagem, insano, com força
provocar gemidos na tua pele suada,
só pra fazer teu gozo,
e te fazer querer mais,
e te mostrar o quanto mais tu quer fazer...
.
e te deixar fazer
;
;

sábado, 22 de janeiro de 2011

não vou saber...


;
;

queria fazer em versos,
toda poesia
dessa madrugada em ti...
mas não fiz.
Como traduzir tuas sensações?
teu cheiro,
teu gosto.
.
impossivel mostrar num verso
meu toque lascivo no bico do teu peito.
Que parece,
tentando furar tua roupa,
fugir pra mim...
como vou colocar em palavras
o passeio da tua lingua,
percorrendo meu corpo.
lambendo meu gozo.
Como rimar a urgencia da minha mão furtiva,
entrando por tuas coxas,
apertar teu gemido
se molhar de ti...
.
não...eu não vou saber contar tudo isso,
eu só sei sentir...
;
;

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

aí então...


;
;
Quando tirei tua roupa, voce tremeu. Tremeu num gemido molhado, molhado de sentir descer. De correr coxas. De lambuzar. Mordeu labios, quando minha mão passeou teu corpo. E minha lingua lambeu teu gosto.uma felicidade sem pudores, sem limites. Rocei nas tuas costas, um suor de arrepiar pele e suspirar...falou besteiras qdo sentiu na mão, minha excitação e apertou. Apertou com força, como pra ter certeza e brincou de mexer, de apertar. De querer, de querer mais. E levou à boca e beijou, engasgando desejos, numa ansia de urgencias, beijou, lambeu, chupou e mordeu...E fez do corpo prazeres e vontades. Urgencias e sensações.
Aí então, voce gemeu um gemido alto, e forte, quando sentiu meu desejo guloso entrar com força , todo em voce....

;;

sábado, 15 de janeiro de 2011

Região Serrana / RJ


doi por quem morreu
doi por quem ficou
Doi tanto que parece mentira...
;
;
..
Hoje não é dia de poesia , é dia de ajudar .
Que cada um doe um pouco mais de si.
Que ajude de algum modo...Doando sangue, alimentos, roupas, água...
procure um posto de donativos...
É muito sofrimento. A Região Serrana do Rio de Janeiro precisa.
;
.
;

sábado, 8 de janeiro de 2011

choro e riso...

;
;
Danço em tua pele,
o som do teu gemido
Murmúrios de música sussurrada, gemida,
onde és vocal, eu orquestra.
.
o teu corpo suado,
ao ritmo em despudor do meu compasso.
Roça teus sentidos.
.
Deslizo nas gotas, que chovem do teu desejo ,
e me entranho no teu prazer.
Um ir e vir constante,
forte, selvagem e louco .
Tremo no teu tremor
que se contorce.
Um transe.
.
me aperta ,
se enxarca
me arranha.
e num gozo forte, túmido
e sem controle
chora feliz um riso nervoso...
;
;

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

retorica do corpo...


;
;
somos inconsequentemente amantes,
numa consciencia impudica de nossas fugas e sofismas.
beijamos a boca num beijo bandido.
E dormimos sonhos indefesos
simples pesadelos que não nos deixam acordar.
Devoro teu corpo, provoco teus sons,
penetro sem dó teus espaços, aperto teus montes,
mordo e molho tuas entradas.
Somos nossa nudez,
e o arrepio que minha lingua faz na tua pele
quando tu se abre e sorri.
Simplesmente uma retorica do corpo.
Uma verossimilhança de amor.
E assim vivemos nossos pecados,
nessa ambiguidade
nossas consequencias...
;
;

sábado, 1 de janeiro de 2011

Reveillon

;
;
ontem (hoje) de madrugada por volta de meia noite e meia eu desci para beber uma água de coco, ainda estavam soltando os fogos tradicionais do reveillon em Copacabana.Tudo com muita gente, mas consegui um espaço e me encostei ao lado do quiosque , e pedi o coco...Nesse intervalo uma menina , com uma roupa toda branca,que estava junto há um grupo de amigos veio tb ao quiosque e pediu uma garrafa de água mineral. Mas tinha muita gente e ela, em razão disso se encostou em mim. Eu estava meio de lado e ela de costas para mim, de frente para o balcão. Ela qdo sentiu meu corpo, se adiantou um pouco, quase como um reflexo, mas não pode se afastar muito, então ficamos praticamente "colados" ainda. Eu sentindo o corpo da moça encostado em mim, comecei a me excitar, e fiquei até preocupado dela reclamar ou tentar sair mais um pouco, o que seria dificil.Mas ao inves disso ela se apertou mais em mim e ficou olhando os fogos enquanto a água não vinha. Mas sempre com o rosto sério e sem me olhar.Meu coco chegou, e eu para pega-lo tive que me encostar mais ainda nela. Minha excitação já estava alta.... eu apenas com uma calça fina encima do corpo, que evidenciava ainda mais o volume no corpo.Ela já nem tentava mais se separar, pelo contrario, se virava para os lados e se roçava com mais força em mim. Fingia olhar o show pirotecnico e inclinava o corpo para frente se apertando mais.Mas tudo isso sem falar nada, apenas o rosto já estava mais leve, mais solto.Qdo veio a garrafa d'agua que ela tinha pedido, ela pagou e se virou para sair, e nessa virada deixou a mão descer e bater na minha.... excitação.esbarrou e deixou a mão se roçar mais raspando até sair de onde estava.Só nesse momento que senti o olhar dela nos meus. Olhei para ela e falei no meio dos fogos "um feliz 2011 pra vc"..... ela me encarou, piscou um olho, sorriu, ...
;
;