sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Vórtices.










...reinvento prazeres. Controlando incontrolaveis descontroles de gozo para dividir contigo no momento magico do teu primeiro espasmo. Fico latejando, em teu corpo que se encaixa e grita. Impudor de palavras e gestos num vai e vem forte e fundo, desconexo. Num compasso que morde lábios e geme, acompanhando o ritmo quente e molhado em teus tremores e suores. Dança irreal de pele e pelos que enlouquece e cura. Alquimia. Numa poesia de corpos não escrita. Tremores múltiplos, lúdicos ,constantes. olhar que se fecha caleidoscopicamente em gozo, contínuo. Multicor. Misturas cumplices. Gemidos, lagrimas e gritos. Crepitamos como brasa. Redemoinhos. Como vórtices.
Nós...




3 comentários:

Anônimo disse...

Bela imagem

CÉU disse...

Sensualmente lindo seu texto.
Instantes e momentos, k não se esquecem nunca.

Beijos, Maurizio!

EU SOU NEGUINHA disse...

Delicia